Sunday, October 7, 2012

Um passo de cada vez - diario da recuperacao pos cirurgia de tornozelo

Dia 9 de Setembro
Cai durante uma caminhada, torci o pe para traz, dor agonizante por alguns minutos, nao conseguia colocar o pe no chao, nao sentia o pe direito, inchou muito, mas mexia os dedos. Chegando no hospital o rio x confirmou a fratura e o ortopedista disse que era caso cirurgico - placas e pinos. Tinha que internar aquele dia. Minha cabeca rodava com as palavras fratura, placa, pinos e cirurgia. Ha meia hora atraz eu estava super bem, aproveitando meu Domingo, tinha tanta coisa para fazer - e-mails para responder, a louca do almoco na pia, uma apresentacao importante - isso nao pode estar acontecendo comigo, deve ser um erro, imagina - eu pensei, enquanto uma enfermeira colocava uma tala de gesso no meu pe.

Dia 10 de Setembro
Passei a primeira noite sozinha no hospital. Nao consegui dormir, foi uma das piores noites da minha vida, ficava lembrando da queda, da dor, da agonia. Ficava pensando por que eu, o que eu tinha feito para merecer aquilo, o que Deus queria me ensinar. Repassei os ultimos dias na minha cabeca para encontrar uma resposta - eu devo ter feito alguma coisa muito errada para isso ter acontecido comigo. Isso nao pode estar acontecendo - eu tenho uma vida, tenho coisas para fazer, tenho uma reuniao muito importante essa semana, nao posso ficar nessa cama. O pe estava super pesado por causa do gesso, muito desconfortavel, doi pouco, mas incomoda muito. Enfermeiras entravam e saiam a noite toda - medicacao, medir a pressao, tirar temperatura.

Dia 11 de Setembro
So nao fui operada hoje por que um enfermeiro me deu um anti coagulante ontem a noite. Minha familia chega para ficar comigo. Agora pelo menos tenho quem me ajude a ir no banheiro com uma cadeira de banho muito estranha, parece um instrumento de tortura. Comeco a aprender a usar so a perna boa para fazer as coisas, e estranho, mas o corpo vai se adaptando. O gesso pesa muito. Nao consigo comer a comida do hospital, o cheiro me enjoa, nao sinto frio nem calor, so medo.

Dia 12 de Setembro
Meu cirurgiao vem conversar comigo. Pergunto se os pinos ficarao para fora (chama-se gaiola, eu aprendo), e ele diz que serao todos internos. Quantos pinos? Ele ainda nao sabe, mas provavelmente tera que colocar um pino maior que tem ser removido em 45 dias depois da cirurgia. Uma segunda cirurgia? Sim, mas e simples, ele responde.
Qual anestesia eu vou tomar? Rack. Qaunto tempo demora a cirurgia? 40 minutos
Como e o pos operatorio? Elevar o pe o tempo todo, repouso absoluto sem colocar o pe no chao por 45 dias. E depois, quando voltar andar, vou ficar normal? Vamos avaliar - cada coisa a seu tempo. Tem fisio, reabilitacao, cadeira de rodas, muleta.
Um novo vocabulario se apresenta para mim.

Dia 13 de Setembro
Dia da cirurgia. Procurei muito na internet antes e nao encontrei muita coisa. Nao sabia o que esperar. Li sobre a rack - tenho que me policiar para nao levantar a cabeca depois que for anestesiada.
Um enfermeiro entra no meu quarto com uma maca para me levar para o centro cirurgico - o uniforme dele e verde, diferente de todos os outros enfermeiros que ja tinham falado comigo.

Cheguei no centro cirurgico e enferemeiras tambem de verde vem falar comigo - perguntas, varias perguntas - qual a sua religiao? Fico apavorada - por que estao perguntando isso? A minha cabeca gira, minha pressao cai.

Sou levada para a sala de cirurgia - o anestesista pergunta de alergias, doencas, outras cirurgias - tudo ok ate agora. Uma enfermeira me senta na mesa de operacao e me segura . Sinto a picada nas costas - nossa, quase nao doi. Sinto as pernas comecarem a formigar. Me deitam e eu sinto que alguem esta alisando a minha perna - vejo o cirurgiao - e falo - eu sinto o que voce esta fazendo - ele diz, se voce esta sentindo, levanta a perna. Nao consigo. Ele diz - se voce esta sentindo, mexe um dedo. Nao consigo tambem.

Quando acordo, o cirurgiao me disse que tudo tinha ido bem, ja tinham acabado e agora eu podia descansar e comecar a recuperacao.

Me levaram para a sala de pos cirurgico - eu estava com muito frio e comecei a me debater. Uma enfermeira me trouxe varios cobertores. Eu estava enjoada, ela espetou meu soro com remedio para enjoo - e dai passou. Mas o frio continuava e a tremedeira tambem - demorou uns 40 minutos para passar. Eu estava nao estava grogue, mas estava aerea. Depois de um tempo o anestesista veio falar comigo e beliscou meu pe - eu senti um pouco - disse que eu ja podia voltar para o quarto.

Voltei para o quarto, e fiquei mais umas 6 horas sem sentir as pernas completamente. Fiquei sem levantar a cabeca tambem, por precaucao. O pe estava igualzinho quando foi para a cirurgia, no gesso. Gracas a Deus nao tive mais enjoos. Passei o resto do dia descansando, dormindo. Nao consegui comer nada.

Dia 14 de Setembro
Acordei bem, sem dor de cabeca ou febre. Consegui comer um iogurte. Passei metade do dia esperando o medico vir falar comigo. Ele nao veio. Veio um outro, residente, dizendo que tinha ido tudo bem na cirurgia. Tambem disse que eu teria alta no outro dia - poderia tirar todas as minhas duvidas no retorno cirurgico na proxima semana.

Dia 15 de Setembro
Ja em casa, o pe doi bastante sem os remedios do hospital. O gesso parece pesar uns 30 quilos. O dia esta muito quente e o gesso fica bem desconfortavel. Sinto a perna inchar e pressionar o gesso. Tenho que tomar muitos remedios, que me deixam cansada. Nao tenho apetite. Durmo muito.
Minha familia sai em busca de coisas que eu vou precisar - cadeira de banho, cadeira de rodas e muletas. Tudo e surreal e ainda nao acredito que esta acontecendo comigo. No hospital, eu tinha a cirurgia como objetivo, espera e preparacao e agora?

Dia 17 de Setembro
Senti dores no primeiro e segundo dia em casa, depois elas passaram. A perna coca muito dentro do gesso e tento abstrair. De vez em quando sinto fisgadas, chego a gritar, mas elas passam rapido. Fico na cama o tempo todo, com varias almofadas e travesseiros para elevar o pe.

Dia 18 de Setembro
Uso a cadeira de rodas pela primeira vez - vou do quarto ate a cozinha para almocar. A cadeira e larga e enrosca em todas as portas da casa - vai ser dificil eu me locomover sozinha. O pe comeca a ficar azulado por ter ficado para baixo, volto para o quarto rapidamente e elevo novamente - volta a cor normal.

Dia 19 de Setembro
Um dos dias mais quentes do ano. Esse gesso ja esta me dando agonia. Sinto o quanto esta abafado dentro do gesso - a coceira e enlouquecedora - nao cutuco. Continuo com fisgadas esporadicas, mas de curta duracao. Continuo tomando os varios remedios - estou tendo dor de estomago - uma reacao ao antibiotico.

Dia 20 de Setembro
Retorno ao cirurgiao - Me mostra que foram 5 pinos e a placa, e que nao precisou do pino grande. Fico aliviada. Fico mais aliviada quando o enfermeiro tira o gesso. O medico vem avaliar e diz que esta tudo bem, os pontos ainda nao estao bom para serem removidos pois a pele esta muito macerada (que termo).
Vejo o meu pe pela primeira vez depois da queda - esta muito inchado, muitos ematomas, muito roxo e muito preto. Nao parece o meu pe. Nao tenho coragem de olhar o corte.
Faz um calor historico na cidade e imploro ao medico para nao colocar mais o gesso - ele concorda e me pede para usar a bota robo foot. Saio mais leve do hospital, mas estranho o pe sem protecao, so enfaixado.

Dia 21 de Setembro
No banho, olho os pontos e o corte pela primeira vez - nao consigo contar todos os pontos, o corte e bem grande. Fico assustada e evito de olhar de novo. O corte precisa ser lavado com agua e sabao, ser bem seco e depois um curativo e feito com gaze, faixa e esparadrapo - e dai a bota. A bota e tao desconfortavel para dormir quanto o gesso, mas mais leve para quando preciso me movimentar.

Dia 22 de Setembro
Percebo que minha perna esta mais fina que a outra na altura da coxa, mas inchada do joelho para baixo. Sinto outros tipos de dores. Agora quando movimento o pe, doi muito, pois a bota nao e tao justa quanto o gesso e o pe acaba mexendo la dentro. Fico com medo de prejudicar a operacao e tento me movimentar o minimo possivel. Medo de ficar manca, ter uma perna mais longa que a outra, essas coisas.

Dia 23 de Setembro
Comeco a usar a cadeira de rodas mais, vou ate o jardim para tomar sol, almoco a mesa, mas com o pe em outra cadeira. Um pouco de normalidade para um Domingo.

Dia 25 de Setembro
Tive uma das melhores e piores noites ate agora. Por causa da bota, nao posso me mexer muito de noite, entao arrumei uma posicao confortavel na cama e nao me mexi a noite toda, dormi direto. Pela manha, quase morri de dor quando sai da posicao - meu quadril doia muito, muito mesmo. Acho que prendi um nervo - dor horrivel, passou aos poucos com remedio e massagem, mas continuo com dor no local.

Dia 27 de Setembro
Segundo retorno ao cirurgiao. Tirei o primeiro raio x. O medico disse que estava tudo indo bem e pediu para tirar os pontos - a enfermeira achou que ainda nao estava bom, mas o medico insistiu. Nao doeu nada. Sai com a perna enfaixada. Posso parar com o antibiotico, com o anti inflamatorio e se quiser, ja posso dormir sem a bota, mas com muito cuidado. Posso comecar fisioterapia leve.
Proximo retorno agora so em 3 semanas.

Dia 28 de Setembro
Dormi uma das melhores noites - o pe doeu toda vez que eu mexi ou virei na cama, mas mesmo assim foi bom. Me sinto estranha nao tomando os remedios, acho que acostumei com a rotina de horarios. No hospital ontem, fiquei olhando o tornozelo de todas as pessoas - como e importante um pedaco tao pequeno do corpo? Fico com inveja das mulheres de tornozelo perfeito. Me sinto triste.

Dia 30 de Setembro
Sinto dores em outros lugares do corpo - muito nas costas, na lombar e agora o joelho bom comecou a doer. Fico com medo de criar um outro problema que eu nao tinha. Me sinto irritada com a situacao.

1 de Outubro
Tive que ir ao hospital, pois o corte estava vazando - nao era sangue, era um liquido avermelhado. A enfermeira que me atende diz que tudo esta bem, esse liquido e normal. Faz um curativo, faz pontos falsos com microporo e enfaixa a perna novamente.
Sair de casa e uma operacao de guerra, desco as escadas sentada, degrau por degrau. Me equilibro em uma perna para entrar no carro, forco o joelho e ele doi.

3 de Outubro
Me sinto frustada - tenho feito todo o repouso do mundo, nao saio de casa, pe para cima o tempo todo e os pontos ainda nao estao bons. Mesmo liberada para a fisio, nao posso fazer, por conta dos pontos. Frustacao nao descreve meu sentimento.

5 de Outubro
Percebo o quao flacida e fina esta minha perna. Sinto que perdi bastante massa muscular - e nao so na perna doente. A pele, desde que voltei do hospital ficou muito ressecada - tenho que passar muito hidratante e oleos para ajudar.

6 de Outubro
Precisava sair de casa. Fui ao shopping a noite, so para comer alguma coisa e voltar, nao passei nem 2 horas fora. So que sair e voltar e uma operacao complexa, pois tenho que descer as escadas externas da casa e forca muito a minha perna boa. Quando voltei, percebi que meus pontos tinham vazado aquele liquido avermelhado mais um pouco, mas estavam secos.

7 de Outubro
Dia de eleicoes. Fui votar na escola aqui perto - de novo, uma luta para conseguir descer escadas e chegar no carro. Chegando la, a escola nao estava preparada para cadeiras de rodas totalmente - tinha o acesso, mas era de paralelepipedo e nao tinha rampa para entrar no corredor, muita gente ajudou e foi. Imagino como nao sofra um cadeirante nesta cidade.


18 de Outubro
Retorno ao medico - 5 semanas - mais um raio x, tudo esta indo bem, mas preciso comecar a fisioterapia. Vou poder colocar peso parcial no pe a partir da 7a semana ate a 9a - talvez, tudo vai depender do que o fisioterapeuta falar.

27 de Outubro
45 dias depois da cirurgia, ja deveria estar colocando o pe no chao, mas ainda nao - tenho que esperar mais algumas semanas. Tem um ponto que cisma em nao fechar, o resto esta bem, Comeco a fisio essa semana. Fui fazer compras no Wallmart e para a minha total surpresa a cadeira de rodas nao passou pelo caixa especifico para deficientes.

02 de Novembro
Comecei a fisioterapia - alongamentos, movimentos rotativos e balance board (que foi assustador, mas bem tranquilo). Nao vejo diferenca ainda, achei tudo muito simples e coisa que voce pode fazer em casa. Devido ao fato de que Novembro tem muitos feriados, meu tratamento vai ficar meio capenga, mas posso continuar fazendo os exercicios em casa. O ultimo ponto fechou e agora oficialmente tenho uma cicatriz e nao mais um corte!!

6 comments:

  1. Olá Janegal. Estou acompanhando seu blog pois estou em casa, convalescendo de uma operação também no tornozelo. Eu quebrei a tíbia e rompi vários ligamentos. Muito do que está passando eu já passei e sei o quanto esse período é duro. Muita paciência pra nós, e ótima recuperação pra você. Continuo te acompanhando.

    ReplyDelete
  2. Ola Biju, obrigada pelo seu comentario!!! Fiquei muito feliz de ter voce aqui. Volte sempre!

    ReplyDelete
  3. Oi Jane, como está a evolução da sua fratura ? Beijo e boa recuperação !

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oi Biju, bem, as coisas vao indo, mas chega uma hora que ja acabou a novidade, que cansa - eu canso de esperar, de nao poder fazer as coisas. E agora que o calor esta aumentando, e mais dificil ficar parada, na cadeira, esperando.
      Fisicamente vai indo tudo bem, dentro do esperado - na proxima semana ja posso comecar com carga parcial - como foi isso para voce?
      Beijos e bom final de semana,
      Jane

      Delete
    2. Olá ! Que bom saber que já vai começar com a carga parcial. Nessa fase, o medo tenta dominar porque ficamos frágeis física e emocionalmente, mas não se acanhe: você vai ver que sensação boa poder ter novamente um pouco de poder sobre seu corpo.
      Aliás, já estou andando (mancando), mas as dores não me largam. Comigo, as coisas começaram a ficar mais fáceis na fisio quando tirei o pino e meu pé parou de inchar, isto é, o inchaço ficou localizado apenas no tornozelo operado (e não tomava o peito do pé e os dedos). Também estou sofrendo com este calor; faço bolsa de gelo até 3 vezes ao dia, e minhas sessões de fisioterapia são diárias...Nossa, estou escrevendo de mais sobre mim. Continue contando como está sua evolução. Tô aqui, torcendo por sua recuperação ! Beijo !

      Delete
    3. Biju, meu pe ainda incha muito - tem que ficar para cima sempre. E esse calor, Meu Deus!!! Ta me matando!! Quanto tempo tem a sua cirurgia? Estou doida para poder andar, mas o medico disse que so por volta do Natal.... Estou mais tranquila agora, ja aceitei minha fratura e agradeco a Deus por ela. Estou fazendo os exercicios religiosamente - na clinica e em casa - meus pontos fecharam todos e agora so tenho a cicatriz!! Vamos que vamos.
      Conta a sua historia para gente?
      Beijos,
      Jane

      Delete